quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Bullying


A violência dentro das escolas

Fenômeno que a mídia tem noticiado com relativa frequência nos últimos tempos e que ocorre no ambiente escolar: que é o Bullying e quer dizer agressor, valentão. O bullying é uma forma de violência intencional, repetitiva e sempre equivale a diferenças de poder, ou seja, o agressor que é quem pratica o bullying está em vantagem sobre a vítima ou vantagem física ou em turma.   E o bullying pode se manifestar de diferentes formas através da  violência física, xingamentos, humilhações, preconceitos e que acaba por impedir a pessoa de ter uma vida saudável.
E vocês podem me estar perguntando se esta violência já existia há alguns anos atrás? Sempre existiu, mas o nome bullying foi dado a partir da década de 80, quando ele começou a ser estudado.
Mas hoje vivemos em uma sociedade que busca sempre o prazer imediato, e acaba por gerar adolescentes que fazem qualquer coisa para serem populares e se darem bem. Faltam valores, limites, porque inclusive hoje se vincula sucesso a dinheiro.
E um outro tipo de bullying que tem ocorrido muito é o cyber bullying que acontece pela internet, inúmeros tipos de violência e humilhações como por exemplo colocar o rosto de uma colega do colégio e colado a ele o corpo de uma prostituta, e no cyber bullying existe a vantagem do anonimato, a pessoa não precisa se identificar. Tanto neste quanto no bullying nas escolas percebemos nitidamente a covardia do agressor, que muitas vezes se esconde em meio de uma turma.
Como os pais podem perceber se seu filho ou filha está sendo vítima de bullying, uma vez que a criança sofre calada, porque o agressor a ameaça e também por medo dos próprios pais de ser taxado de fraco.
Os sintomas mais comuns são: a criança passa a não querer ir a escola, à noite que antecede geralmente no domingo sente: enjoo, tem diarreia, vômito, insônia). E a criança ou o  jovem que sofre bullying pode desenvolver depressão, pânico, fobia social (medo de estar em público), fobia escolar (medo de ir a escola), podendo até chegar a casos extremos ao suicídio ou mesmo ao homicídio que inclusive já ocorreram no Brasil.   
E para finalizar quero deixar uma recomendação aos pais, ou avós: estejam atentos às suas crianças, aos seus jovens, e caso percebam comportamentos de isolamento, tristeza, medo de ir à escola, raiva sem motivo aparente, ou até aqueles sintomas físicos que eu descrevi, procure a escola e investigue a vida escolar de seu filho, fale com a professora, coordenadora, procure saber com quem seu filho se relaciona, como é o seu comportamento na escola, dentro da sala de aula, no recreio, converse com os funcionários da escola, e pergunte se eles perceberam algo de diferente com seu filho, as vezes até o tio da cantina, eu digo isto porque a vítima de bullying procura ficar sempre perto de algum adulto para se proteger. Investigue e caso esteja ocorrendo procure ajuda e desenvolva ações junto com a escola, que deve tomar providências.

     
Cartilha Bullying do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) - PDF







Psicóloga Alessandra C R Chrisostomo
Agende sua consulta: (11) 99912-4878
Consultório no Tatuapé -  Rua Itapura, 300 - Próximo ao metro Carrão.
___________________________________________________________________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário